InícioMundoBiden descarta 'nova guerra fria'

Biden descarta ‘nova guerra fria’

Publicado em

- Advertisement -

Em tom conciliatório após meses de escalada de tensão, os presidentes da China, Xi Jinping, e dos Estados Unidos, Joe Biden, se encontraram nesta segunda-feira (14) em Bali, na Indonésia, onde acontece esta semana a cúpula do G20.

Este foi o primeiro encontro pessoal entre os líderes das duas nações – rivais no atual cenário da geopolítica mundial – desde que Biden assumiu o governo, em 2021, e que Xi foi reeleito para um terceiro mandato na China, se consolidando como o líder chinês mais influente desde Mao Tse Tung.

Embora as tensões entre EUA e China tenham se intensificado nos últimos meses (leia mais abaixo), o tom do encontro foi conciliatório, segundo a Casa Branca.

“não precisa haver uma nova guerra fria”.

Disse Biden

Os dois líderes, segundo um comunicado da Casa Branca, falaram sobre suas respectivas prioridades e intenções sobre “uma série de temas”.

“O presidente Biden explicou que os Estados Unidos continuarão a competir vigorosamente com a República Popular da China, incluindo o investimento em recursos internos e alinhando forças com aliados e parceiros ao redor do mundo. Ele (Biden) reiterou que essa competição não deve desviar para um conflito, e que Estados Unidos e China devem levar a competição de forma responsável e manter abertas as linhas de comunicação”.

Já Xi Jinping, segundo a mídia estatal chinesa, disse que a única “linha vermelha” na relação entre os dois países é Taiwan, a ilha que Pequim reivindica como parte de seu território mas cujo governo, independente, Washington apoia.

Na pauta do encontro, que ocorreu nesta manhã (pelo horário de Brasília), estavam temas como a tensão em Taiwan, a guerra na Ucrânia e as ambições nucleares da Coreia do Norte, questões chave para os dois países, que, nos três casos, são aliados de lados opostos.

Antes de encontrar o líder chinês, Biden já havia dito que os Estados Unidos vão “competir vigorosamente” com Pequim, ainda que “garantindo que a concorrência não se transforme em conflito”.

“Como líderes de nossas duas nações, compartilhamos a responsabilidade, na minha opinião, de mostrar que a China e os Estados Unidos podem gerenciar nossas diferenças, impedir que a concorrência se torne algo próximo de um conflito e encontrar maneiras de trabalhar juntos em questões globais urgentes. que exigem nossa cooperação mútua”, disse Biden na abertura da reunião.

A cúpula do G20 acontece ao longo de terça-feira (15). O presidente da Rússia, Vladimir Putin, não irá ao encontro, e seu país será representado por Serguei Lavrov, o ministro das Relações Exteriores.

Mais cedo, a agência de notícias Associated Press informou que Lavrov foi levado ao hospital após chegar a Bali. O governo russo, entretanto, negou e classificou a informação como “o cúmulo da falsificação.”

Tensões entre EUA e China

O tom das comitivas da China e dos EUA após a reunião marcaram também um “esfriamento” das tensões entre os dois países, que se acirraram ao longo de 2022. Um dos principais fatores foi a postura de Washington sobre Taiwan, ilha que Pequim reivindica ser parte de seu território. Em agosto, a presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Nancy Pelosi, aliada de Biden, fez uma visita não anunciada a Taiwan, que foi vista pelo governo chinês como um ato de provocação.

Como resposta, as Forças Armadas chineses fizeram, nas semanas seguintes, uma série de exercícios militares com navios e aeronaves que, em várias ocasiões, invadiram os espaços aéreo e marítimo de Taiwan. Joe Biden chegou a dizer que Washington ajudaria a ilha a se defender no caso de uma invasão. A guerra na Ucrânia também foi um forte encontro diplomático entre Washington e Pequim, que apoiam lados diferentes. O governo de Joe Biden envia armas e ajuda financeira a Kiev, enquanto que Xi Jinping já declarou apoio ao presidente russo, Vladimir Putin, e não condenou a invasão de suas tropas à Ucrânia.

Últimas notícias

Ciro Gomes compara Lula e Bolsonaro: “Não mudou nada”

Ex-presidenciável Ciro Gomes ressaltou que desistiu da vida pública e que não será mais candidato a cargos eletivos.

Trump deve enfrentar Biden na eleição

Após vencer as primárias de Missouri, Michigan e Idaho, Donald Trump aparece como principal nome do Republicanos para as eleições dos EUA

Caçada aos fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró se intensifica

Mossoró: fugitivos invadem galpão, agridem homem e polícia monta cerco. Nas redondezas também há uma pista de pouso em bom estado de conservação, além de ruínas de uma antiga fazenda.

PF INVESTIGA ESQUEMA DE FALSOS MÉDICOS NA PB

Após denúncia em Cabedelo, PF recebe do CRM dossiê sobre esquema de falsos médicos na PB

relacionados

Ciro Gomes compara Lula e Bolsonaro: “Não mudou nada”

Ex-presidenciável Ciro Gomes ressaltou que desistiu da vida pública e que não será mais candidato a cargos eletivos.

Trump deve enfrentar Biden na eleição

Após vencer as primárias de Missouri, Michigan e Idaho, Donald Trump aparece como principal nome do Republicanos para as eleições dos EUA

Caçada aos fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró se intensifica

Mossoró: fugitivos invadem galpão, agridem homem e polícia monta cerco. Nas redondezas também há uma pista de pouso em bom estado de conservação, além de ruínas de uma antiga fazenda.