InícioDestaqueParaíba tem única prefeita indígena do Brasil

Paraíba tem única prefeita indígena do Brasil

Publicado em

- Advertisement -

Atuação política de mulheres indígenas cresce, mas ainda esbarra em racismo e violência de gênero

Segundo os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o número de indígenas eleitos prefeitos e vereadores cresceu nas últimas eleições municipais.

Os prefeitos passaram de seis para oito, na comparação com a eleição de 2016. Já os vereadores aumentaram de 168 para 179.

A Paraíba ocupa a segunda posição nacional com 18 indígenas eleitos em 2020, entre prefeito, vices e vereadores e tem a única mulher indígena do Brasil a ocupar o cargo de prefeita.

Neste panorama se destaca a atuação da prefeita do município de Marcação, no Litoral Norte paraibano, Eliselma Silva de Oliveira, mais conhecida como Lili, da etnia Potiguara.

Na disputa eleitoral de 2020, Lili venceu uma eleição integrando uma chapa formada apenas por indígenas. O currículo fala por si sobre a atuação de líder na sua comunidade:

Graduada em enfermagem, a prefeita Lili atuou em postos do Programa Saúde da Família (PSF) em diversas aldeias do município entre 2010 a 2012, quando decidiu iniciar uma carreira política.

Mesmo assim, os desafios são imensos para uma representante indígena, pois é necessário lidar com o racismo estrutural e institucional que há no nosso país, e superar a questão da descolonização sobre a ideia de qual é o lugar do indígena na sociedade.

A realidade é que, em sua maioria, os partidos políticos lançam nomes de candidaturas de minorias políticas para atrair mais votos, mas não investem na candidatura, e isto precisa mudar.

O racismo e o sexismo, no Brasil, estão impregnados inclusive na legislação, mas o movimento de inclusão das mulheres indígenas nos espaços de poder não tem volta.

Últimas notícias

PF INVESTIGA ESQUEMA DE FALSOS MÉDICOS NA PB

Após denúncia em Cabedelo, PF recebe do CRM dossiê sobre esquema de falsos médicos na PB

Nilvan reage: “A melanina da minha pele não é motivo para ninguém me desqualificar”

"Isso é um crime muito grave e não pode passar despercebido, senão vira moda. E a gente tem que cortar o mal pela raiz, para que outras pessoas que queiram fazer isso comigo ou com qualquer outra pessoa negra, elas tenham medo de ser preconceituosos, ser racista, antes de cometer qualquer fato em relação ao que cometeram comigo hoje."

Azevêdo anuncia reajuste de servidores, incorpora mais 20% na Segurança e piso de professores

Reajuste também contempla inativos e pensionistas, além de professores e forças de segurança.

Janones será investigado por suposta “rachadinha”em gabinete

Parlamentar nega que cobrou de membros de assessoria devolução de parte do salário; representação foi apresentada pelo deputado cassado Deltan Dallagnol

relacionados

PF INVESTIGA ESQUEMA DE FALSOS MÉDICOS NA PB

Após denúncia em Cabedelo, PF recebe do CRM dossiê sobre esquema de falsos médicos na PB

Nilvan reage: “A melanina da minha pele não é motivo para ninguém me desqualificar”

"Isso é um crime muito grave e não pode passar despercebido, senão vira moda. E a gente tem que cortar o mal pela raiz, para que outras pessoas que queiram fazer isso comigo ou com qualquer outra pessoa negra, elas tenham medo de ser preconceituosos, ser racista, antes de cometer qualquer fato em relação ao que cometeram comigo hoje."

Azevêdo anuncia reajuste de servidores, incorpora mais 20% na Segurança e piso de professores

Reajuste também contempla inativos e pensionistas, além de professores e forças de segurança.