InícioParaíbaJustiça suspende projeto de lei que libera R$ 13,7 milhões para gestão...

Justiça suspende projeto de lei que libera R$ 13,7 milhões para gestão de Bruno Cunha Lima

Publicado em

- Advertisement -

A decisão da juíza se fundamentou em possíveis irregularidades na votação do projeto na Câmara de Campina Grande

A juíza Ana Carmem Pereira Jordão Vieira, da 2ª Vara de Fazenda Pública de Campina Grande, suspendeu, na noite dessa terça-feira (29), os efeitos do projeto de lei sancionado pelo prefeito Bruno Cunha Lima para abertura de crédito de R$ 13,7 milhões para a gestão municipal.

O valor se refere a operações de créditos para pagamento de encargos dos empréstimos de R$ 300 milhões da Prefeitura Municipal de Campina Grande (PMCG).

A decisão da juíza foi tomada após pedido da bancada de oposição na Câmara Municipal de Campina Grande, que acusa o presidente da Casa, Marinaldo Cardoso, de atropelar o regimento para aprovar a matéria.

Na decisão, a magistrada sustenta que o voto da vereadora Ivonete Ludgério na sessão da Câmara Municipal de Campina Grande “foi computado indevidamente, pois, mesmo estando supostamente presente no sistema zoom, não apareceu a imagem desta, que ela poderia ter se feito presente e justificado seu voto, mas o Presidente da Câmara computou o voto desta supostamente relatado por meio de celular (WhatsApp) no minuto 11:13, forma de votação não prevista no Regimento Interno, decisiva para a formação da maioria absoluta necessária para aprovação do projeto.”

A juíza também apontou a existência do “perigo da demora, uma vez que a aprovação precipitada do projeto de lei sem discussão prévia, contrariando o Regimento do Parlamento Mirim, poderá resultar na aprovação de Lei com claro vício formal. Outrossim, também presente a reversibilidade da medida, eis que, caso não se confirmem as alegações, o projeto de Lei poderá ser remetido para sanção do executivo.”

A decisão da juíza foi comemorada pela oposição na Câmara Municipal de Campina Grande. O vereador Rubão Filho, líder do bloco, afirmou que a decisão “é um importante precedente para garantir o respeito ao regimento interno da Câmara e a participação de todos os vereadores nas votações”.

O prefeito Bruno Cunha Lima ainda não se manifestou sobre a decisão da Justiça.

Últimas notícias

PF INVESTIGA ESQUEMA DE FALSOS MÉDICOS NA PB

Após denúncia em Cabedelo, PF recebe do CRM dossiê sobre esquema de falsos médicos na PB

Nilvan reage: “A melanina da minha pele não é motivo para ninguém me desqualificar”

"Isso é um crime muito grave e não pode passar despercebido, senão vira moda. E a gente tem que cortar o mal pela raiz, para que outras pessoas que queiram fazer isso comigo ou com qualquer outra pessoa negra, elas tenham medo de ser preconceituosos, ser racista, antes de cometer qualquer fato em relação ao que cometeram comigo hoje."

Azevêdo anuncia reajuste de servidores, incorpora mais 20% na Segurança e piso de professores

Reajuste também contempla inativos e pensionistas, além de professores e forças de segurança.

Janones será investigado por suposta “rachadinha”em gabinete

Parlamentar nega que cobrou de membros de assessoria devolução de parte do salário; representação foi apresentada pelo deputado cassado Deltan Dallagnol

relacionados

PF INVESTIGA ESQUEMA DE FALSOS MÉDICOS NA PB

Após denúncia em Cabedelo, PF recebe do CRM dossiê sobre esquema de falsos médicos na PB

Nilvan reage: “A melanina da minha pele não é motivo para ninguém me desqualificar”

"Isso é um crime muito grave e não pode passar despercebido, senão vira moda. E a gente tem que cortar o mal pela raiz, para que outras pessoas que queiram fazer isso comigo ou com qualquer outra pessoa negra, elas tenham medo de ser preconceituosos, ser racista, antes de cometer qualquer fato em relação ao que cometeram comigo hoje."

Azevêdo anuncia reajuste de servidores, incorpora mais 20% na Segurança e piso de professores

Reajuste também contempla inativos e pensionistas, além de professores e forças de segurança.