InícioBrasilLivro de autor brasileiro é censurado em Universidade

Livro de autor brasileiro é censurado em Universidade

Publicado em

- Advertisement -

Após campanha feita por deputado do PL em Goiás, livro “Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios” foi censurado em Universidade e taxado de “pornográfico”.

O renomado autor Brasileiro, o escritor Marçal Aquino, esteve recentemente envolvido em uma polêmica na qual um de seus principais livros foi taxado de “pornográfico” e retirado da lista de leituras do vestibular.

O fato aconteceu depois de ampla campanha liderada pelo deputado federal Gustavo Gayer (PL-GO), que questionou a indicação da obra para o vestibular da Universidade Rio Verde.

Segundo o deputado, palavras que fazem referência aos órgãos sexuais, e descrição de cenas íntimas não poderiam fazer parte de lista de leitura e para uma prova de ingresso em faculdade.

O autor declarou em recente entrevista ao portal UOL não se espantar com o posicionamento do deputado, mas sim com a postura da universidade. “Isso não deveria nem chocar a gente, é um deputado de perfil conservador. O que me choca é a comissão do vestibular e a universidade aceitarem essa tutela tão inapropriada e retirar o livro da lista do vestibular”.

Demita-se a comissão que seleciona os livros, já que a opinião de um deputado faz com que seus integrantes questionem escolhas que deveriam ser embasadas no conhecimento técnico deles. Faz-me pensar o seguinte: que universidade é essa? Eu não quero viver no mundo que esse deputado pensa ser o ideal, não me interessa. Mas também eu não iria para uma universidade que assume uma posição dessa”, lamentou Marçal Aquino.

Em nota, publicada no dia 27/4, a instituição confirmou a retirada do livro das leituras indicadas para os candidatos. “Trata-se de uma obra da literatura brasileira contemporânea, trabalhada nos principais cursinhos pré-vestibulares e presente na lista obrigatória de diversos concursos do país, motivo pelo qual a banca o teria indicado para o vestibular da UniRV”, diz o texto.

“Porém, a Coordenação do Vestibular, ao tomar ciência do conteúdo do livro e da polêmica gerada, decidiu pela exclusão imediata da referida obra da lista literária indicada para o vestibular”, completa.

Entenda a obra

De acordo com o site da editora Companhia das Letras, responsável pela publicação do livro, Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios conta a história do envolvimento entre o fotógrafo Cauby e Lavínia, mulher de um pastor evangélico que a tirou das ruas e das drogas.

A narrativa, que se passa em uma pequena cidade do estado do Pará, chegou a ser adaptada para o cinema em 2012. Lavínia, uma das personagens, foi interpretada pela atriz Camila Pitanga.

Ao que parece, se a censura continuar como critério para obras literárias que podem ou não constar na lista para provas do vestibular, as obras renomadas de Jorge Amado serão esquecidas e constarão apenas as de Monteiro Lobato.

Capítulo vergonhoso para cultura nacional.

Últimas notícias

PF INVESTIGA ESQUEMA DE FALSOS MÉDICOS NA PB

Após denúncia em Cabedelo, PF recebe do CRM dossiê sobre esquema de falsos médicos na PB

Nilvan reage: “A melanina da minha pele não é motivo para ninguém me desqualificar”

"Isso é um crime muito grave e não pode passar despercebido, senão vira moda. E a gente tem que cortar o mal pela raiz, para que outras pessoas que queiram fazer isso comigo ou com qualquer outra pessoa negra, elas tenham medo de ser preconceituosos, ser racista, antes de cometer qualquer fato em relação ao que cometeram comigo hoje."

Azevêdo anuncia reajuste de servidores, incorpora mais 20% na Segurança e piso de professores

Reajuste também contempla inativos e pensionistas, além de professores e forças de segurança.

Janones será investigado por suposta “rachadinha”em gabinete

Parlamentar nega que cobrou de membros de assessoria devolução de parte do salário; representação foi apresentada pelo deputado cassado Deltan Dallagnol

relacionados

PF INVESTIGA ESQUEMA DE FALSOS MÉDICOS NA PB

Após denúncia em Cabedelo, PF recebe do CRM dossiê sobre esquema de falsos médicos na PB

Nilvan reage: “A melanina da minha pele não é motivo para ninguém me desqualificar”

"Isso é um crime muito grave e não pode passar despercebido, senão vira moda. E a gente tem que cortar o mal pela raiz, para que outras pessoas que queiram fazer isso comigo ou com qualquer outra pessoa negra, elas tenham medo de ser preconceituosos, ser racista, antes de cometer qualquer fato em relação ao que cometeram comigo hoje."

Azevêdo anuncia reajuste de servidores, incorpora mais 20% na Segurança e piso de professores

Reajuste também contempla inativos e pensionistas, além de professores e forças de segurança.