InícioBrasilLula faz “Revogaço” nos primeiros minutos de mandato

Lula faz “Revogaço” nos primeiros minutos de mandato

Publicado em

- Advertisement -

O recém empossado presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) assinou neste domingo (1/1) nos primeiros momentos de seu mandato, como um ato de cumprimento de suas promessas de campanha, os primeiros decretos revogando medidas tomadas durante o governo do seu antecessor, o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

Os setores beneficiados pelos decretos de revogação focaram inicialmente a política de armas, o meio ambiente, cancelamento do processo de privatização de empresas estatais além do sigilo de dados.

“Alguns serão assinados agora (durante a cerimônia de posse no Palácio do Planalto) e outros ao longo da noite”, disse Padilha na saída da solenidade de posse de Lula no Congresso Nacional.

Na política de armas, os decretos assinados por Lula determinam o seguinte:

  • Suspensão de registro de novas armas de uso registro para pessoas que tenham os certificados de caçador, atirador e colecionador (CAC).
  • Suspensão temporária da autorização para novos clubes de tiro
  • Determina o recadastramento de todas as armas adquiridas com base em um dos decretos assinados por Bolsonaro, em 2019, junto ao Sistema Nacional de Armas, da Polícia Federal

As medidas de liberação e flexibilização das normas para posse de armas foram uma das principais bandeiras do governo do ex-predidente Bolsonaro. Sua revogação atinge diretamente o núcleo ideológico bolsonarista, mostrando logo nos primeiros minutos que Lula não irá retroceder em pontos que considera fulcrais para a maioria da população que o elegeu neste terceiro mandato:

“Estamos revogando os criminosos decretos de ampliação do acesso a armas e munições, que tanta insegurança e tanto mal causaram às famílias brasileiras. O Brasil não quer mais armas; quer paz e segurança para o seu povo”, disse.

Já na área ambiental, os decretos assinados pelo presidente determinaram:

  • Prazo de 45 dias para que seja concluída uma proposta de regulamentação do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama)
  • Reestabelecimento de regras para o funcionamento do Fundo Amazônia. Durante o governo Bolsonaro, mudanças feitas no funcionamento do fundo fizeram com que os governos da Noruega e Alemanha suspendessem suas doações
  • Revogou assinado por Bolsonaro em 2022 que criou o Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Mineração Artesanal e em Pequena Escala. O decreto foi visto, à época, com um incentivo à prática do garimpo ilegal em áreas protegidas e ambientalmente sensíveis.

Os pontos revogados colocam o Brasil de volta ao mapa da postura de preservação ambiental no âmbito internacional, retirando do país o grave risco de embargos aos produtos do agronegócio, caso continuasse com o ritmo acelerado de desmatamento. Embora possa parecer uma medida que vai de encontro aos interesses de parcela dos apoiadores de Bolsonaro (o Agro) a realidade é bem diversa e favorece à economia como um todo.

 Outro ponto comemorado e fortemente aplaudido na cerimônia foi o anuncio de quebra do sigilo de 100 anos imposto pelo ex-governo, sendo assim os decretos assinados por Lula determinaram que:

  • A Controladoria Geral da União (CGU) faça uma reavaliação de decisões do ex-presidente Bolsonaro sobre a imposição de sigilos sobre documentos e informações da administração pública.

A “caneta” de Lula não deve ter sossego nestes próximos dias, haja vista que conforme o balanço da comissão de transição, e de acordo com as avaliações dos novos ministros empossados, muitas outras revogações serão necessárias para tornar o país minimamente “administrável”.

Na mira do novo governo estão a revogação de medidas com a que criou a necessidade de se realizar uma audiência de conciliação entre os órgãos de fiscalização federais e os infratores ambientais.

Na educação o gabinete de transição mapeou políticas que deveriam ser revistas, como o fim do programa de implementação de escolas cívico-militares, face aos vários escândalos metodológicos e de implementação de ideologias, chegando ao cúmulo de flagrantes desrespeitos as leis de infância e juventude, como crianças da faixa de 10 anos de idade marchando com armas reais sobre os ombros.

Ainda no discurso, o novo presidente afirmou que uma das prioridades de seu terceiro mandato será o combate à fome e à miséria no país. “Diante do desastre orçamentário que recebemos, apresentei ao Congresso Nacional propostas que nos permitam apoiar a imensa camada da população que necessita do estado para, simplesmente, sobreviver”, afirmou.

“Não seria justo nem correto pedir paciência a quem tem fome (…).”

“Este compromisso começa pela garantia de um programa Bolsa Família renovado, mais forte e mais justo, para atender a quem mais necessita. Nossas primeiras ações visam a resgatar da fome 33 milhões de pessoas e resgatar da pobreza mais de 100 milhões de brasileiras e brasileiros, que suportaram a mais dura carga do projeto de destruição nacional que hoje se encerra.”

Últimas notícias

PF INVESTIGA ESQUEMA DE FALSOS MÉDICOS NA PB

Após denúncia em Cabedelo, PF recebe do CRM dossiê sobre esquema de falsos médicos na PB

Nilvan reage: “A melanina da minha pele não é motivo para ninguém me desqualificar”

"Isso é um crime muito grave e não pode passar despercebido, senão vira moda. E a gente tem que cortar o mal pela raiz, para que outras pessoas que queiram fazer isso comigo ou com qualquer outra pessoa negra, elas tenham medo de ser preconceituosos, ser racista, antes de cometer qualquer fato em relação ao que cometeram comigo hoje."

Azevêdo anuncia reajuste de servidores, incorpora mais 20% na Segurança e piso de professores

Reajuste também contempla inativos e pensionistas, além de professores e forças de segurança.

Janones será investigado por suposta “rachadinha”em gabinete

Parlamentar nega que cobrou de membros de assessoria devolução de parte do salário; representação foi apresentada pelo deputado cassado Deltan Dallagnol

relacionados

PF INVESTIGA ESQUEMA DE FALSOS MÉDICOS NA PB

Após denúncia em Cabedelo, PF recebe do CRM dossiê sobre esquema de falsos médicos na PB

Nilvan reage: “A melanina da minha pele não é motivo para ninguém me desqualificar”

"Isso é um crime muito grave e não pode passar despercebido, senão vira moda. E a gente tem que cortar o mal pela raiz, para que outras pessoas que queiram fazer isso comigo ou com qualquer outra pessoa negra, elas tenham medo de ser preconceituosos, ser racista, antes de cometer qualquer fato em relação ao que cometeram comigo hoje."

Azevêdo anuncia reajuste de servidores, incorpora mais 20% na Segurança e piso de professores

Reajuste também contempla inativos e pensionistas, além de professores e forças de segurança.