InícioParaíbaMulher de Jogador do Botafogo vai responder por crime de xenofobia

Mulher de Jogador do Botafogo vai responder por crime de xenofobia

Publicado em

- Advertisement -

Drica Borba será investigada pelo crime de xenofobia cometido com a publicação de vídeo ofensivo contra os paraibanos

A catarinense Adriana Borba, noiva do jogador Léo Campos, do Botafogo-PB, causou polêmica ao publicar vídeos nas redes sociais com piadas e críticas ao sotaque e costumes dos paraibanos na última terça-feira (24).

Embora tenha usado das redes sociais para desculpar-se pelo que chamou de “brincadeira” as atitudes registradas repercutiram fortemente em âmbito nacional, uma vez que o tipo de alegações são caracterizadas como xenofobia, que é considerado crime no Brasil desde 1997, quando há “discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”.

No vídeo, que poderá ser conferido nesta matéria, Adriana Borba, ela ironizou o sotaque e o jeito de andar “arrastando os chinelos” do paraibano, afirmando que em ambos os casos isto causava-lhe extrema irritação, vontade de recriminar as atitudes de pessoas ao seu redor pelos seus costumes regionais. A única coisa que ela se ressentiu foi de não ter “ninguém” com quem comentar e repercutir o mesmo tipo de discriminação.

As declarações só viralizaram na quarta-feira (25). Depois disso, ela encerrou o seu perfil no Instagram e pediu desculpas em um novo vídeo, junto ao noivo, alegando que era tudo uma “brincadeira” e que ela foi mal interpretada. Apesar de suas desculpas, a Polícia Civil instaurou um inquérito civil para investigá-la pela suspeita do crime de racismo por conta dos atos xenofóbicos.

O time no qual do qual seu companheiro é contrato tentou minimizar a repercussão do caso como forma de não ter sua imagem manchada, entretanto, vários perfis relevantes nacionalmente publicaram nas últimas horas posts e declarações com a reafirmação de ser paraibano.

É importante destacar que casos de xenofobia podem ser punidos com prisão de um a três anos e multa, e ainda mais se cometido em ambientes virtuais, a pena pode ser maior, passando para um período de dois a cinco anos. Isso acontece porque no caso da internet “a potencialidade dessa ofensa é ainda maior, alcança mais pessoas e ela se perpetua no tempo”.

É um triste e preocupante fenômeno que ocorre no país, onde ainda existe muita intolerância e preconceito em relação a diferenças culturais e regionais. A xenofobia é uma forma de violência e deve ser combatida e punida, para que possamos construir uma sociedade mais justa e igualitária.

Últimas notícias

Ciro Gomes compara Lula e Bolsonaro: “Não mudou nada”

Ex-presidenciável Ciro Gomes ressaltou que desistiu da vida pública e que não será mais candidato a cargos eletivos.

Trump deve enfrentar Biden na eleição

Após vencer as primárias de Missouri, Michigan e Idaho, Donald Trump aparece como principal nome do Republicanos para as eleições dos EUA

Caçada aos fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró se intensifica

Mossoró: fugitivos invadem galpão, agridem homem e polícia monta cerco. Nas redondezas também há uma pista de pouso em bom estado de conservação, além de ruínas de uma antiga fazenda.

PF INVESTIGA ESQUEMA DE FALSOS MÉDICOS NA PB

Após denúncia em Cabedelo, PF recebe do CRM dossiê sobre esquema de falsos médicos na PB

relacionados

Ciro Gomes compara Lula e Bolsonaro: “Não mudou nada”

Ex-presidenciável Ciro Gomes ressaltou que desistiu da vida pública e que não será mais candidato a cargos eletivos.

Trump deve enfrentar Biden na eleição

Após vencer as primárias de Missouri, Michigan e Idaho, Donald Trump aparece como principal nome do Republicanos para as eleições dos EUA

Caçada aos fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró se intensifica

Mossoró: fugitivos invadem galpão, agridem homem e polícia monta cerco. Nas redondezas também há uma pista de pouso em bom estado de conservação, além de ruínas de uma antiga fazenda.