InícioMundoMulher vai receber do ex-marido mais de R$ 1 milhão de salário...

Mulher vai receber do ex-marido mais de R$ 1 milhão de salário por trabalhos domésticos

Publicado em

- Advertisement -

Justiça da Espanha considerou que a mulher se dedicou essencialmente aos afazeres da casa desde que se casou

Um homem foi condenado pela Justiça espanhola a pagar uma quantia de 204 mil euros (cerca de R$ 1 milhão) à sua ex-mulher por 25 anos de trabalho doméstico não remunerado. A decisão permite que o pagamento seja feito mensalmente, por meio de uma pensão de 500 euros (cerca de R$ 2,7 mil).

De acordo com o jornal El País, Ivana Moral, de 48 anos, pediu o divórcio em 2020, alegando que coube exclusivamente a ela as tarefas domésticas durante o casamento. Ela afirmou que também não pôde seguir sua própria carreira por causa de sua dedicação exclusiva ao lar e à família. Enquanto isso, seu ex-marido acumulou e aumentou exponencialmente seus bens, sendo proprietário de uma academia de ginástica e adquirindo condição financeira suficiente para fazer compras requintadas.

Ivana afirmou ainda que o homem se recusou a pagar pelos estudos de uma das filhas depois que a menina completou 16 anos. Por isso, ele também deverá pagar 400 euros (R$ 2,1 mil) e 600 euros (R$ 3,2 mil) por mês a cada uma das filhas, atualmente com 20 e 14 anos.

O valor da indenização foi decidido por um juiz de Málaga, que utilizou como base o salário mínimo mensal profissional e fez o cálculo de quanto ela deveria receber pelos 25 anos de casamento. A advogada Marta Fuentes afirmou que a decisão representa o trabalho de todas as mulheres que trabalham nas sombras, constituindo um apoio fundamental em termos pessoais, conjugais e familiares.

A advogada acrescentou ainda que Ivana ficava em casa cuidando das filhas e nunca contatava ninguém para ajudá-la, sendo a sombra do ex-marido, trabalhando por trás para que ele pudesse crescer profissionalmente e se tornar alguém.

O homem condenado pode recorrer da decisão.

No Brasil, os Tribunais entendem que o direito à indenização por dano moral, só nasce quando a infidelidade conjugal faz com que o outro cônjuge passe por sofrimento excessivo, humilhação ou constrangimentos que vão além do mero desgosto e mágoa comuns e normais ao término de qualquer relacionamento.

Nos casos de violência contra a mulher ocorridos em contexto doméstico e familiar, é possível a fixação de valor mínimo de indenização a título de dano moral, desde que haja pedido expresso da acusação ou da parte ofendida, ainda que sem especificação do valor. Essa indenização não depende de instrução probatória específica sobre a ocorrência do dano moral, pois se trata de dano presumido.

Últimas notícias

PF INVESTIGA ESQUEMA DE FALSOS MÉDICOS NA PB

Após denúncia em Cabedelo, PF recebe do CRM dossiê sobre esquema de falsos médicos na PB

Nilvan reage: “A melanina da minha pele não é motivo para ninguém me desqualificar”

"Isso é um crime muito grave e não pode passar despercebido, senão vira moda. E a gente tem que cortar o mal pela raiz, para que outras pessoas que queiram fazer isso comigo ou com qualquer outra pessoa negra, elas tenham medo de ser preconceituosos, ser racista, antes de cometer qualquer fato em relação ao que cometeram comigo hoje."

Azevêdo anuncia reajuste de servidores, incorpora mais 20% na Segurança e piso de professores

Reajuste também contempla inativos e pensionistas, além de professores e forças de segurança.

Janones será investigado por suposta “rachadinha”em gabinete

Parlamentar nega que cobrou de membros de assessoria devolução de parte do salário; representação foi apresentada pelo deputado cassado Deltan Dallagnol

relacionados

PF INVESTIGA ESQUEMA DE FALSOS MÉDICOS NA PB

Após denúncia em Cabedelo, PF recebe do CRM dossiê sobre esquema de falsos médicos na PB

Nilvan reage: “A melanina da minha pele não é motivo para ninguém me desqualificar”

"Isso é um crime muito grave e não pode passar despercebido, senão vira moda. E a gente tem que cortar o mal pela raiz, para que outras pessoas que queiram fazer isso comigo ou com qualquer outra pessoa negra, elas tenham medo de ser preconceituosos, ser racista, antes de cometer qualquer fato em relação ao que cometeram comigo hoje."

Azevêdo anuncia reajuste de servidores, incorpora mais 20% na Segurança e piso de professores

Reajuste também contempla inativos e pensionistas, além de professores e forças de segurança.