InícioBrasilO silêncio das Forças Armadas incomoda

O silêncio das Forças Armadas incomoda

Publicado em

- Advertisement -

Ministro da Defesa e militares decidem ficar em silêncio diante de ataques

José Múcio Monteiros, novo ministro da Defesa do governo Lula, escolhido mesmo a revelia de várias vozes internas do Partido dos trabalhadores optou pelo silêncio sobres os atos de ataque de 8 de janeiro.

Assim como ele, os comandantes das três Forças Armadas, Exército, Marinha e Aeronáutica igualmente não realizaram pronunciamento oficial sobre o assunto, seja de forma individual ou em conjunto.  Segundo o porta Correio Brasiliense, os comandantes da Marinha, almirante Marcos Sampaio Olsen; do Exército, general Júlio Cesar de Arruda; e da Aeronáutica, brigadeiro Marcelo Kanitz Damasceno mantiveram contato com o ministro ao longo da tarde do dia dos ataques terroristas na Praça dos Três Poderes, quando sequer a situação havia sido contida.

Os militares decidiram não fazer comentários públicos por entenderem que a situação era de responsabilidade das forças de segurança do Distrito Federal e não envolviam as Forças Armadas.

Na manhã da segunda-feira (9) o ministro José Múcio Monteiro foi ao acampamento golpista, instalado há mais de dois meses na frente do Quartel-General do Exército, para ver de perto a situação do movimento antidemocrático. Depois dos ataques, ele se encontrou com o ministro da Justiça, Flávio Dino, para uma reunião de avaliação. Em recente declaração, o ministro de histórico de direita explica que, por suas palavras: “Eu vim para a Defesa, e não para o ataque“, em uma referência ao nome de seu ministério.

Já o Presidente Lula, em seu discurso com os Ministros de Estado elogiou o fato de que as Forças armadas mantiveram sua função constitucional, mesmo após meses seguidos ouvindo o “canto da serpente do golpismo”.

Entretanto, em outra situações recentes de atos tipicamente da esfera civil, a exemplo das eleições e urnas eletrônicas, o exército foi um dos atores de avaliação da idoneidade do processo, mesmo que este jamais tenha sido um papel atribuído a esta esfera, que tem, notadamente o dever de defender o país em sua soberania contra invasões externas.

O fantasma do período militar ainda “caminha pelos corredores do poder” e assombra com excesso de melindres a relação institucional entre o Executivo, Legislativo e Judiciário com as Forças Armadas, já que não se trata de um quarto poder, mas sim subordinado do Executivo, de acordo com as determinações constitucionais.

O artifício criminoso de invocar a memória de um período de trevas democráticas no Brasil, a ditadura, jamais poderia ter sido tolerado como discurso. Mais que isso, virou uma promessa política que os demais poderes, nos primeiros momentos, haveriam de ser rechaçados pelos instrumentos que se valem a nação para coibir ataques às instituições, duramente reconquistadas pelo povo Brasileiro e materializados na Constituição da República Federativa do Brasil de 1988.

Últimas notícias

Trump atingido em atentado em comício

Atentado na Pensilvânia: o ex-presidente americano, Donald Trump, foi alvo de disparos em um comício na Pensilvânia, nos Estados Unidos neste sábado (13). Trump foi atingido na orelha no atentado. O serviço secreto dos Estados Unidos retirou o ex-presidente do palco em um evento de campanha após tiros serem disparados no local.

Investigação da ‘Abin paralela’ revela áudio de reunião secreta de Bolsonaro

A operação localizou gravação de reunião ocorrida em 2020, com a participação do general Heleno, em que teria sido discutida estratégia para anular investigação que colocou filho do ex-presidente sob suspeita e até a ‘retirada de alguns auditores de seus respectivos cargos.

O que realmente muda com a Reforma tributária?

Quais os reais Impactos e Novidades na Economia Brasileira Após a Regulamentação da Reforma Tributária pela Câmara? Conheça os Próximos Passos e Expectativas

Fake News sobre PRF espalha o terror em Soledade

Nos últimos dias, a pacata cidade do interior da Paraíba tem sido alvo de...

relacionados

Trump atingido em atentado em comício

Atentado na Pensilvânia: o ex-presidente americano, Donald Trump, foi alvo de disparos em um comício na Pensilvânia, nos Estados Unidos neste sábado (13). Trump foi atingido na orelha no atentado. O serviço secreto dos Estados Unidos retirou o ex-presidente do palco em um evento de campanha após tiros serem disparados no local.

Investigação da ‘Abin paralela’ revela áudio de reunião secreta de Bolsonaro

A operação localizou gravação de reunião ocorrida em 2020, com a participação do general Heleno, em que teria sido discutida estratégia para anular investigação que colocou filho do ex-presidente sob suspeita e até a ‘retirada de alguns auditores de seus respectivos cargos.

O que realmente muda com a Reforma tributária?

Quais os reais Impactos e Novidades na Economia Brasileira Após a Regulamentação da Reforma Tributária pela Câmara? Conheça os Próximos Passos e Expectativas