InícioBrasilO "tiro que saiu pela culatra". As mil versões de Marcos do...

O “tiro que saiu pela culatra”. As mil versões de Marcos do Val na mira do STF

Publicado em

- Advertisement -

Alexandre de Moraes determina apuração sobre as alegações do senador.

Ao que parece o Senador Marcos do Val (Podemos-ES) não contava com o rápido desmantelamento das versões sobre o planejamento do Golpe de Estado, mesmo sendo “versado” em técnicas de inteligência e contando no currículo com o honroso título de treinador de equipes da SWAT e até da Nasa, segundo sua biografia.

No mesmo dia em que revelou para a imprensa o detalhamento do encontro que havia tido com Bolsonaro e ex-deputado, agora preso, Daniel Silveira o mesmo conseguiu cair em inúmeras contradições, sempre acrescentando ou retirando informações as versões contadas a cada veículo de imprensa, mudando suas declarações “ao sabor do vento”.

O que não ficou claro em um primeiro momento, mas já começa a se delinear, eram os interesses por trás das declarações que só agora ele estaria revelando, principalmente por se tratar de um aliado de primeira hora do ex-presidente Bolsonaro.

Independente de qual das versões o Senador optasse por contar, em todas elas figurava indistintamente sua suposta relação “próxima” com o Ministro Alexandre de Moraes, que seria o alvo, teoricamente, de uma das fases do malfadado plano de derrubada das instituições democráticas.

Se as alegações do Senador estivessem corretas, o Ministro estaria agindo fora de suas atribuições legais, requerendo de terceiros atuação ilegal de “captação de informações” fora do escopo processual, o que o tornaria parte envolvida ou com interesse nos resultados dos julgamentos, fazendo automaticamente que houvesse suspeição em todos os processos nos quais fossem investigadas as partes envolvidas, a exemplo dos processos em que figurassem Jair Bolsonaro, seus filhos, esposa, e até mesmo nas ações decorrentes de 8 de janeiro, que, ao que parece, sempre foi o foco do Marcos do Val, uma vez que hoje já declarou que pretende pedir a suspeição do ministro nas ações dos atos antidemocráticos.

Cumpre lembrar como breve retrospecto da carreira do ilustre senador sua participação na ativa na CPI da Covid onde prestou-se ao papel de cão de guarda de teorias tais quais da Cloroquina como forma de tratamento, passando até suas ativas Lives realizadas dentro das dependências da Polícia durante a oitiva e prisão dos envolvidos no terrorismo perpetrado nos prédios dos Três Poderes chamando o ambiente de “campo de concentração”.

Não se sabe se a inteligência, da qual o senador tanto se refere em suas entrevistas havia previsto o “tiro pela culatra” da estratégia que não convenceu ninguém, e ao mesmo tempo ainda trouxe os holofotes das mentiras contadas para ele próprio, pois acaba de ser determinada uma apuração independente daquela aberta para examinar as responsabilidades pelos atos golpistas de 8 de janeiro, por ordem do próprio ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, em despacho publicado no fim da tarde desta sexta-feira (3/2).

Moraes anotou no despacho com a decisão que Marcos do Val já apresentou quatro versões sobre a reunião na qual o ex-deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) teria lhe pedido ajuda, na presença de Jair Bolsonaro (PL), para reverter a derrota eleitoral do ex-presidente. “Ouvido sobre os fatos, o senador Marcos do Val apresentou, à Polícia Federal, uma quarta versão dos fatos por ele divulgados, todas entre si antagônicas, de modo que se verifica a pertinência e necessidade de diligências para o seu completo esclarecimento, bem como para a apuração dos crimes de falso testemunho (art. 342 do Código Penal), denunciação caluniosa (art. 339 do Código Penal) e coação no curso do processo (art. 344 do Código Penal)”, escreveu Moraes.

Além disso os veículos de imprensa terão de passar todo o conteúdo do que foi dito por Marcos do Val (Veja, CNN e Globo News). As contradições de Marcos do Val No depoimento dado à PF na quinta (2/2), assim como em outras ocasiões no mesmo dia, o senador não soube especificar onde teria acontecido o encontro com Daniel Silveira e Jair Bolsonaro, em 7 de dezembro de 2022.

Últimas notícias

PF INVESTIGA ESQUEMA DE FALSOS MÉDICOS NA PB

Após denúncia em Cabedelo, PF recebe do CRM dossiê sobre esquema de falsos médicos na PB

Nilvan reage: “A melanina da minha pele não é motivo para ninguém me desqualificar”

"Isso é um crime muito grave e não pode passar despercebido, senão vira moda. E a gente tem que cortar o mal pela raiz, para que outras pessoas que queiram fazer isso comigo ou com qualquer outra pessoa negra, elas tenham medo de ser preconceituosos, ser racista, antes de cometer qualquer fato em relação ao que cometeram comigo hoje."

Azevêdo anuncia reajuste de servidores, incorpora mais 20% na Segurança e piso de professores

Reajuste também contempla inativos e pensionistas, além de professores e forças de segurança.

Janones será investigado por suposta “rachadinha”em gabinete

Parlamentar nega que cobrou de membros de assessoria devolução de parte do salário; representação foi apresentada pelo deputado cassado Deltan Dallagnol

relacionados

PF INVESTIGA ESQUEMA DE FALSOS MÉDICOS NA PB

Após denúncia em Cabedelo, PF recebe do CRM dossiê sobre esquema de falsos médicos na PB

Nilvan reage: “A melanina da minha pele não é motivo para ninguém me desqualificar”

"Isso é um crime muito grave e não pode passar despercebido, senão vira moda. E a gente tem que cortar o mal pela raiz, para que outras pessoas que queiram fazer isso comigo ou com qualquer outra pessoa negra, elas tenham medo de ser preconceituosos, ser racista, antes de cometer qualquer fato em relação ao que cometeram comigo hoje."

Azevêdo anuncia reajuste de servidores, incorpora mais 20% na Segurança e piso de professores

Reajuste também contempla inativos e pensionistas, além de professores e forças de segurança.