InícioBrasilSeca paralisa uma das maiores hidrelétricas do país

Seca paralisa uma das maiores hidrelétricas do país

Publicado em

- Advertisement -

Usina instalada no Rio Madeira é a quarta maior do país e responsável por cerca de 4% do consumo nacional de energia em época de cheia

A Usina de Santo Antônio, localizada em Porto Velho (RO), foi desligada no último domingo (1º/10) devido à seca na Amazônia, e não há previsão de retomada de sua operação. Esta é a primeira vez que a hidrelétrica é desativada devido à falta de chuvas na região.

A decisão de desligar a usina foi tomada pela Santo Antônio Energia, em conjunto com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), devido aos baixos níveis de vazão no rio Madeira, que estão aproximadamente 50% abaixo da média histórica. A Usina de Santo Antônio é a quarta maior do Brasil e normalmente responde por cerca de 4% do consumo nacional de energia durante as épocas de cheia. Entretanto, em períodos de escassez de chuva na Região Norte, sua contribuição para a geração de eletricidade no país é reduzida.

No entanto, a interrupção da usina não deve causar uma crise de abastecimento de energia, devido ao alto índice de chuva em outras regiões do Brasil. Isso permite que o sistema de geração de energia do país seja reorganizado para lidar com a parada temporária da usina.

É importante destacar que a Usina de Santo Antônio foi projetada para minimizar seu impacto ambiental e opera com um pequeno reservatório que não é capaz de estocar grandes volumes de água. Sua geração de energia depende da quantidade de água (vazão) que flui pelo rio para acionar as turbinas, o que a torna mais sensível às variações na vazão de água.

A seca na Amazônia, que tem afetado a região nos últimos tempos, é uma preocupação crescente, e dados do Centro de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) indicam que ela pode alcançar níveis recordes este ano, com a possibilidade de se estender até janeiro de 2024. A expectativa do governo do Amazonas é que a seca afete a distribuição de água e alimentos para cerca de 500 mil pessoas na região. Além disso, a navegação fluvial, que é crucial para a locomoção da população e a entrega de suprimentos na Região Norte, deve ser impactada pela seca, assim como o aumento das queimadas, o que prejudicará milhares de pessoas que dependem dos rios da região.

Estima-se que afluentes importantes para a formação do rio Amazonas, como o Negro, o Solimões, o Juruá, o Madeira, o Purus e o Xingu, terão vazões abaixo da média histórica devido à seca, de acordo com dados da Agência Nacional de Águas (ANA).

Últimas notícias

Ciro Gomes compara Lula e Bolsonaro: “Não mudou nada”

Ex-presidenciável Ciro Gomes ressaltou que desistiu da vida pública e que não será mais candidato a cargos eletivos.

Trump deve enfrentar Biden na eleição

Após vencer as primárias de Missouri, Michigan e Idaho, Donald Trump aparece como principal nome do Republicanos para as eleições dos EUA

Caçada aos fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró se intensifica

Mossoró: fugitivos invadem galpão, agridem homem e polícia monta cerco. Nas redondezas também há uma pista de pouso em bom estado de conservação, além de ruínas de uma antiga fazenda.

PF INVESTIGA ESQUEMA DE FALSOS MÉDICOS NA PB

Após denúncia em Cabedelo, PF recebe do CRM dossiê sobre esquema de falsos médicos na PB

relacionados

Ciro Gomes compara Lula e Bolsonaro: “Não mudou nada”

Ex-presidenciável Ciro Gomes ressaltou que desistiu da vida pública e que não será mais candidato a cargos eletivos.

Trump deve enfrentar Biden na eleição

Após vencer as primárias de Missouri, Michigan e Idaho, Donald Trump aparece como principal nome do Republicanos para as eleições dos EUA

Caçada aos fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró se intensifica

Mossoró: fugitivos invadem galpão, agridem homem e polícia monta cerco. Nas redondezas também há uma pista de pouso em bom estado de conservação, além de ruínas de uma antiga fazenda.